Prefeitura Municipal de Barão-RS
Portal

Prefeitura Municipal de

Barão

Prefeitura Municipal de Barão-RS

Notícias

MESMO COM OS DESAFIOS, AGRICULTORES SEGUEM NA SUA NOBRE MISSÃO DE PROVER ALIMENTO - 09/07/2020

Como cita Ezequiel Redin: "a única utopia que os agricultores carregam consigo é a utopia da esperança. Esperança que dias melhores virão, que o suor de seu trabalho seja valorizado, que sua contribuição social seja, de fato, reconhecida". 

Neste período em que o foco tem sido a saúde e da mesma forma a economia em decorrência dos efeitos extensivos da Pandemia, muitas vezes a atenção se volta à chegada do alimento na mesa da população e o produtor rural, provedor deste alimento, em alguns casos fica abstraído. Sem o produtor rural não há comida na mesa de ninguém, não importa a classe social ou a condição. Todos dependem do trabalho do agricultor para sobreviver. Desde a fruta do café da manhã, até o arroz com feijão, a rapadura do lanchinho ou o café com leite: tudo, de alguma forma, passou pelas mãos do agricultor. 

A agricultura e a pecuária, especialmente falando dos pequenos produtores, têm sido fortemente afetadas principalmente pelos efeitos do clima que se apresenta com intensidade extrema: ora a aridez, ora a enxurrada. O produtor rural tem de conviver com a constante incerteza, sabendo que os frutos do seu trabalho não dependem somente do seu esforço, mas também da ação da natureza. 

Quando o agro está em crise, todos sentem os efeitos: desabastecimento de produtos, elevação dos preços, baixa na qualidade.

Recentemente, muitos municípios do Rio Grande do Sul, inclusive Barão, entraram em situação de emergência devido à estiagem. Como efeito de uma das piores secas no Estado, as perdas em algumas culturas ultrapassaram os 50%. O Secretário Municipal da Agricultura e Meio Ambiente Samuel Royer comenta a chegada intensa da chuva no Estado: "a chuva é bem-vinda por um lado, seja reabastecendo os açudes e reservatórios, mas por outro lado traz novos prejuízos aos agricultores do nosso município. Prejuízos estes que vão desde estragos aos acessos da propriedade, como também nas lavouras agora em desenvolvimento. O principal ramo afetado é o hortigranjeiro, onde o excesso de umidade traz inúmeras doenças, e em situações extremas como esta que vem ocorrendo, acarretam a perda total das plantações que estão em campo aberto, seja por alagamento ou erosão de áreas de terra". 

Edmundo Hoppe Oderich, Extensionista Rural do Escritório da Emater de Barão, destaca também o impacto da Pandemia na agricultura e na pecuária: "o principal impacto da pandemia na agricultura parece ser a desorganização da comercialização. Ainda que a demanda por produtos alimentares não varie muito por se tratar de um bem essencial à população, o fechamento e as mudanças na dinâmica dos mercados trazem dificuldades para escoar a produção. Essas dificuldades são sentidas principalmente por produtores de hortaliças, frutas e produtos mais perecíveis. Já o setor de grãos e proteína animal (carne, ovos...) tem uma perspectiva melhor em termos econômicos. Tanto é que em plena pandemia, a agricultura registrou tem apresentado crescimento econômico em nível nacional. Contudo, no Rio Grande do Sul e aqui na região de Barão, isso não aconteceu no período recente por causa do agravante da estiagem ao longo de toda estação quente. Podem-se notar também diferenças em relação à condição socioeconômica dos agricultores. Em geral as consequências para os agricultores menos estruturados e capitalizados são piores, já que eles têm menos condições de se adaptar tão rapidamente às mudanças na comercialização, menos condições de armazenagem, bem como menos condições de recorrer a um empréstimo se necessário. Mas o setor agrário é muito diverso e por isso é importante cuidar com generalizações". 

Para o Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Agricultores Familiares de Barão João Haas, "falar do agricultor não é nada difícil, o difícil é ser corajoso para ser um agricultor que persevera no dia a dia lá campo de sol a sol, com frio e calor, contando sempre com a questão climática que castiga bastante também". 

João complementa sua fala, reiterando o papel fundamental do agricultor na sociedade: "procuro sempre dar ânimo aos agricultores dizendo que sem eles na roça plantando e colhendo mesmo com as dificuldades as pessoas da cidade não teriam com o que se alimentar e que os agricultores serão os últimos a passar fome. E tem um ditado que sempre digo: se o agricultor não planta a cidade não almoça e não janta". 

A Secretaria Municipal da Agricultura, bem como a Emater e o Sindicato dos Trabalhadores Agricultores Rurais de Barão estão atentos às adversidades e oferecendo o suporte aos produtores rurais. Salientamos que a Secretaria está à disposição e em caso de qualquer necessidade pode ser feito contato pelo telefone 3696 1200.


Acesso Rápido

horas

Horário de Atendimento

Segunda a Sexta
07:30 às 11:30
13:00 às 17:00

Contato Rápido

Desenvolvido por Stratton Soluções Públicas 2018 - 2020 ® Todos os Direitos Reservados